Ocupantes


Para um amor no Recife

No Recife o problema da falta de moradia está sendo resolvido com a tropa de choque, muito eficiente, do coronel Luis Meira. Então, vamos resgatar uma bela música de Paulinho da Viola para a trilha desta bela seqüência de elogio à vida e aos direitos do homem, que, no Recife e na São Paulo do nosso prefeito higienista, o José Serra, são funções da PM:

"Para um amor no Recife"
(Paulinho da Viola)

A razão porque mando um sorriso e não corro
É que tenho levado a vida quase morto
Quero fechar a ferida 
Quero estancar o sangue 
E sepultar bem longe o que restou da camisa
Colorida que cobria minha dor
Meu amor eu não me esqueço,
Não se esqueça por favor
Que voltarei depressa
Tão logo a noite acabe
Tão logo este tempo passe
Para beijar você  



Escrito por OEAL às 22h31
[ ] [ envie esta mensagem ]


Rua Sinebu, Glicério



Max, um dos libertos da Escola Campos Salles, sai de sua morada nova da rua Sinebu e verte passos apresados pelas ruas do Glicério e da Liberdade, seu caminho o erige pra parte alta da Avenida Paulista, onde trabalha de segunda a sábado, das 7 às 13, num hospital em que a diária de leito individual (e creio que só há leitos individuais) custa R$400,00... 

Mas a maioria dos ocupantes da Sinebu trabalha separando o plástico do vidro, do papel e do metal, contido no que os ocupantes dos edifícios em séquito que irrompem do chão dos bairros altos acham que não serve para eles... Separando o lixo, tem uns que ganham uns R$400,00 por mês, como o Max, que passa as horas e ganha o pão conduzindo doentes dos bairros altos no elevador do hospital, pois é ascensorista que carrega camas com enfartados, contundidos, traumatizados, operados etc...

 



Escrito por OEAL às 21h50
[ ] [ envie esta mensagem ]


Quais foram os três primeiros presidentes do Brasil?

Prudente de Morais, Floriano Peixoto, Campos Salles...?



Escrito por OEAL às 00h05
[ ] [ envie esta mensagem ]


Iminência da desocupação

Madrugada de desocupação, despejo iminente, julho de 2005, noite fria à boca do dia feliz, ridente pletora de maquinismos, nasce mais uma jornada de trabalho em São Paulo, engravatados singram pelas ruas, comércio escancara suas promessas de vida eterna, moradores do Campos Salles ganham a Liberdade...



Escrito por OEAL às 23h58
[ ] [ envie esta mensagem ]


Campos Salles presidente do Brasil


Campos Salles, escola de 1911, queimada, abandonada pelo poder público, educação órfã, turba de sem-teto desgarrados da Terra, desovados na cidade hostil, Bairro da Liberdade, migrações cotodianas na urbe avassaladora, higyenizada para tornar o Centro mais bonito; belo, ideal do fascismo, 2005 ruma pra 2006, felizes anos novos...



Escrito por OEAL às 23h52
[ ] [ envie esta mensagem ]




Escrito por OEAL às 18h59
[ ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico
21/01/2007 a 27/01/2007
05/11/2006 a 11/11/2006
08/10/2006 a 14/10/2006
01/10/2006 a 07/10/2006
16/04/2006 a 22/04/2006
19/02/2006 a 25/02/2006
12/02/2006 a 18/02/2006
05/02/2006 a 11/02/2006
01/01/2006 a 07/01/2006
11/12/2005 a 17/12/2005




Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Onde Está América Latina?
 Integração Sem Posse
 MST
 Teatro Oficina
 Associação Brasileira de Cinematografia - ABC